Para além de um repositório!

Sobre Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira

Criado em 01/01/1924

Rio de Janeiro - RJ - BR

O Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz), fundado em 1924, é uma unidade de assistência, ensino, pesquisa e desenvolvimento tecnológico da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), reconhecida em 2006 como hospital de ensino e em 2010 como centro nacional de referência pelo Ministério da Saúde e pelo Ministério da Educação.

O IFF tem como missão promover saúde para mulher, criança e adolescente e fortalecer o SUS. A sua visão consiste em consolidar-se nacional e internacionalmente como Instituto de referência na produção de conhecimento, gestão participativa e atenção integral para a saúde da mulher, da criança e do adolescente. Foi em 2010, quando o Instituto recebeu a denominação Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira, que passou a assumir a atribuição de órgão auxiliar do Ministério da Saúde na tarefa de desenvolver, coordenar e avaliar as ações integradas, direcionadas à área da saúde feminina e infantojuvenil em âmbito nacional.

A reconfiguração do Instituto Fernandes Figueira como Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente decorre de um conjunto de ações vinculadas tanto à atuação e competência de seus profissionais como às discussões sobre o desdobramento natural de sua trajetória, reconhecido no âmbito da Fiocruz e do Ministério da Saúde, o que responde à consolidação e ao aprimoramento das políticas públicas brasileiras, voltadas para seu público-alvo.

O IFF é considerado um “hospital amigo da criança” pela Organização Mundial da Saúde (OMS), pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e pelo Ministério da Saúde. A titulação e o reconhecimento concedidos a instituições que promovem, protegem e apoiam o aleitamento materno não são uma conduta a priori, mas, a posteriori, resultado de um trabalho permanente, com dedicação, competência e boas práticas em saúde pública. O Instituto recebeu outros reconhecimentos, como o Prêmio da Organização Pan-americana de Saúde por suas ações e iniciativas bem-sucedidas no âmbito do desenvolvimento humano no hemisfério sul; o Prêmio Sérgio Arouca de Saúde e Cidadania para o Banco de Leite Humano (BLH) e o Prêmio Leila Diniz - Pré-natal e Parto Seguros e Saudáveis.

A pesquisa em saúde exerce um papel estruturante e fundamental para a excelência do IFF, no qual as ações de pesquisas científica e tecnológica têm como referência o cenário demográfico e epidemiológico da saúde, assim como o impacto na qualidade, promovendo e inovando soluções para a saúde da mulher, da criança e do adolescente em seus principais agravos. As diretrizes formuladas a partir desses conhecimentos acumulados buscam possibilitar que o sistema integral de saúde responda às demandas da população-alvo, com qualidade e resultados efetivos e eficientes.

Durante mais de 20 anos o IFF vem investindo na efetivação de ações direcionadas à pesquisa e ao ensino, alinhadas à missão institucional da Fiocruz. O marco determinante dessa política ocorreu com a promoção do Programa de Pós-graduação em Saúde da Criança e da Mulher (PPGSCM), em 1988, que, na gestão de 2009-2012, é enfatizado por sua reconhecida relevância quanto à formação de professores e pesquisadores no campo da saúde coletiva. Em consonância com tal processo, foram criados, em 2011, os cursos de mestrado e doutorado em pesquisa aplicada à saúde da criança e da mulher. O eixo temático do IFF – saúde da mulher, da criança e do adolescente – corresponde a um importante marco de atuação e foco, tanto na área de assistência, gestão e formação de docentes e de pesquisadores quanto na emergente construção de tecnologias, práticas e saberes direcionados aos grupos em situação de vulnerabilidade.

Outra importante contribuição na área de ensino, pesquisa e formação continuada é o mestrado profissional, quanto ao impacto social e assistencial do âmbito do IFF, considerado uma referência nacional nas mais seguras práticas da saúde materno-infantil. O curso, que iniciou em 2008, tem por finalidade analisar, identificar e diagnosticar situações da rotina profissional, valorizar as melhores abordagens qualitativas, resolver problemas e desafios das questões materno-infantis e utilizar a avaliação em larga escala na metodologia do processo de gestão.

O IFF mantém atividades importantes na área de cooperação nacional e internacional. O Instituto atua de forma estratégica no âmbito da cooperação internacional em saúde pública, em parceria com o Instituto de Comunicação, Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz), estabelecendo diferentes acordos de cooperação com instituições de assistência, ensino e pesquisa de outros países, com destaque para os ibero-americanos, nações do continente africano e o projeto multilateral desenvolvido com a França para ações comuns no Haiti e capacitação de gestores no contexto da gestão hospitalar.

Atenção à Saúde

A Área Atenção à Saúde articula ações específicas em saúde da mulher, da criança e do adolescente que prescrevem aplicação de cuidados de alta complexidade em ambiente hospitalar, ambulatorial, na rotina do hospital-dia e na modalidade de atenção domiciliar. Como instituição de referência à saúde brasileira, o IFF cumpre um papel relevante quanto ao aperfeiçoamento do Sistema Único de Saúde (SUS), por meio da qualificação, promoção da saúde e ampliação do acesso e garantia dos direitos da população aos serviços e insumos de saúde.

A Área de Atenção à Saúde é composta por 131 leitos com uma qualificada estrutura de suporte logístico-operacional que permite a realização, anualmente, de cerca de 4.500 internações, 60 mil atendimentos ambulatoriais, 2.500 cirurgias, 150 mil procedimentos de suporte diagnóstico e terapêutico e 1.200 atendimentos domiciliares para pacientes oriundos do Rio de Janeiro e de outras regiões brasileiras.

A assistência multidisciplinar do Instituto conta com profissionais qualificados para prestar atendimento nas áreas de Alergia, Anatomia Patológica, Anestesia, Banco de Leite Humano, Cardiologia, Cirurgia Pediátrica, Cuidados Paliativos, Dermatologia, Endoscopia Digestiva e Respiratória Diagnóstica, Enfermagem especializada, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Genética Médica, Ginecologia, Imunologia, Infectologia, Neonatologia, Neurocirurgia, Neuropediatria Clínica, Nutrição Clínica, Obstetrícia, Patologia Clínica, Pediatria, Pneumologia, Psicologia, Serviço Social e Terapia Ocupacional. A atuação do IFF na área de aleitamento materno também é importante referência nacional e internacional, da qual resultou a coordenação da Rede Brasileira de Bancos de Leite (rblh-Br), considerada a maior e mais complexa do mundo, com mais de 200 unidades em todo o país e do Programa Ibero-americano de Bancos de Leite Humano (IberBLH). Atualmente o o Instituto apoia 23 países no desenvolvimento e fortalecimento da política de aleitamento materno e na instalação de BLHs.

Outro centro de referência localizado no IFF, a Genética Médica, dispõe de laboratórios de citogenética clínica e genética molecular aplicada; Centro de Infusões Venosas e Terapia de Reposição Enzimática e ambulatórios de osteogênese imperfeita, erros inatos do metabolismo, pré-natal de alto risco e aconselhamento genético. No IFF, são realizados exames genéticos de análise dos cromossomos (cariótipo e protocolos voltados para síndromes com instabilidade cromossômica) e pesquisas das síndromes genéticas associadas às doenças genômicas.

Acesse o site oficial: http://www.iff.fiocruz.br/


Recursos da Comunidade
Ver todos
04/09/2020
LGBT e COVID
LGBT e COVID Reflexão sobre a pandemia que amplifica as desigualdades sociais, políticas, geográficas e a população LGBT e outras não ficam de fora do processo saúde-doença, distanciamento social dos programas de serviços da saúde, abordados na 12ª sessão da "Jornada de Debates sobre COVID-19: desafios acirrados pela pandemia", do Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e da Mulher (PPGSCM), ocorrida em 31 de agosto de 2020. O Prof. Dr. Breno Oliveira, professor adjunto da Universidade Federal do Amazonas, foi o convidado. O professor Breno é psicólogo e pedagogo com doutorado em Saúde Coletiva pelo Instituto Fernandes Figueira da Fundação Oswaldo Cruz (2019). Mestre em Ciências e Saúde pela Universidade Federal do Piauí (2016). Especialista em Saúde da Família pelo Centro Universitário Internacional (2014) e em Psicologia da Educação pela Universidade Estadual do Maranhão (2016). Atuou como psicólogo do Consultório na Rua (atenção básica) e psicólogo hospitalar da Fundação Municipal de Saúde em Teresina, Piauí (2013-2015). Como psicólogo escolar, atuou no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (2015-2019). Atualmente é professor-pesquisador efetivo da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) nos cursos de graduação e mestrado em Psicologia. Faz parte do Núcleo Docente Estruturante (NDE), do Comitê de Ética em Pesquisa e da Comissão de Equidade de Gênero. Está vinculado ao Laboratório de Pesquisa em Psicologia do Desenvolvimento Humano e Educação (LADHU) e ao grupo de pesquisa "Subjetividades, povos amazônicos e processos de desenvolvimento humano" (CNPq). Possui interesse em dois grandes eixos interligados: saúde coletiva e educação. Na saúde coletiva, por sua vez, nos seguintes temas: psicologia da saúde, saúde das populações LGBT, políticas de saúde e equidade. E na educação: direitos humanos e escola, assistência estudantil e atuação do psicólogo na educação profissional.
Cuidado, deficiência e Covid-19