Para além de um repositório!

Sobre Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos

Criado em 01/01/1976

Rio de Janeiro - RJ - BR

O Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos) é a unidade da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) responsável por pesquisa, inovação, desenvolvimento tecnológico e pela produção de vacinas, reativos e biofármacos voltados para atender prioritariamente às demandas da saúde pública nacional. O Complexo Tecnológico de Vacinas (CTV) do Instituto, um dos maiores centros de produção da América Latina, instalado no campus da Fiocruz, garante a autossuficiência em vacinas essenciais para o calendário básico de imunização do Ministério da Saúde (MS).

Fundado em 1976, Bio-Manguinhos tem atuação destacada no cenário internacional, não só pela exportação do excedente de sua produção para mais de 70 países, através da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) e do Unicef. Desde 2001, o Instituto é pré-qualificado junto à Organização Mundial da Saúde (OMS) para o fornecimento da vacina febre amarela e, em 2008, para a vacina meningocócica AC para agências das Nações Unidas. As ações conjuntas não se restringem ao fornecimento de medicamentos para os programas de saúde internacionais, englobam intercâmbio de experiências e informações, eventos técnico-científicos, parcerias e cooperação.

As competências de Bio-Manguinhos vão além da produção de imunobiológicos. O investimento contínuo na cadeia de inovação e em desenvolvimento tecnológico é outra marca do Instituto, assim como o domínio de tecnologias de ponta e avançados processos de produção. Parcerias com outras instituições - públicas e privadas - garantem acordos de transferência de tecnologia e de desenvolvimento tecnológico, contribuindo para a evolução dos projetos do Instituto. O cumprimento dos requerimentos de Boas Práticas de Fabricação (BPF) assim como a certificação de qualidade de seus laboratórios fazem do Instituto um importante agente para a melhoria da saúde pública do país.

bio-fiocruz-quem-somos-prodCom a crescente modernização de seu parque industrial, o número de vacinas entregue para o Programa Nacional de Imunizações (PNI) do MS aumenta anualmente. Em 2017, Bio atendeu à 32,9% do mercado público nacional de vacinas, incluindo fornecedores internacionais, e 39,27% considerando apenas os produtores nacionais. O Instituto entregou mais de 129 milhões de doses de vacinas. Foram entregues quase 10 milhões de frascos de biofármacos e 7,5 milhões de kits para diagnóstico. Os produtos de Bio-Manguinhos garantem à população brasileira acesso gratuito a imunobiológicos de alta tecnologia e permitem a redução dos gastos do Ministério da Saúde.

Para manter o nível de excelência, o investimento na ampliação e modernização da infraestrutura é constante. A readequação e expansão das áreas físicas é parte do processo de inovação que se implementa em Bio-Manguinhos, assim como a aquisição de novos equipamentos. Um novo campus está sendo construído no distrito industrial de Santa Cruz, zona oeste do Rio de Janeiro. Em um terreno de 580 mil m2, será erguido o Complexo Industrial de Biotecnologia em Saúde (CIBS), que irá quadruplicar a capacidade de processamento final de vacinas e biofármacos do Instituto.

O investimento se estende também à capacitação do seu corpo de trabalhadores, seja através do Mestrado Profissional em Tecnologia de Imunobiológicos (MPTI); do Curso de Formação de Inspetores em Biossegurança da Saúde; ou do Programa Anual de Treinamento. Além de conhecimento, o Instituto oferece qualidade de vida. Um programa voltado para o bem-estar físico e mental dos colaboradores disponibiliza 13 atividades que podem ser usufruídas na unidade.

Não são apenas os funcionários que se beneficiam das ações oferecidas por Bio-Manguinhos. Desde 2008, através do Projeto de Responsabilidade Socioambiental (Somar), 480 jovens das áreas vizinhas já foram atendidos pelos projetos Crescendo com Manguinhos e Oficina do Empreendedor. O atendimento inclui também os seus responsáveis. Os participantes têm acesso a oficinas educativas, aulas de informática e de música, acesso à biblioteca, reforço escolar e ações de saúde integral.

Para que essa seja a atual realidade de Bio-Manguinhos, cerca de 1,6 mil funcionários, dentre servidores públicos, terceirizados e bolsistas, trabalham no Instituto para mantê-lo como referência na área da saúde pública, desempenhando um papel estratégico para o Brasil. Sua posição destacada no mercado legitima suas ações e solidifica um futuro ainda mais promissor.

Missão

“Contribuir para a melhoria dos padrões de saúde pública brasileira, por meio de inovação, desenvolvimento tecnológico, produção de imunobiológicos e prestação de serviços para atender prioritariamente às demandas de saúde do país”.

Visão

“Ser a base tecnológica do Estado brasileiro para as políticas do setor, e protagonizar a oferta de produtos e serviços de interesse epidemiológico, biomédico e sanitário".

Valores

Compromisso com o acesso da população brasileira a insumos e serviços estratégicos de saúde;

Ética e transparência;

Inovação;

Valorização das pessoas;

Excelência em produtos e serviços;

Responsabilidade socioambiental;

Integração institucional;

Empreendedorismo;

Compromisso com resultados;

Foco no cliente;

Sustentabilidade.

Política da Qualidade

"Nosso compromisso é, por meio da melhoria contínua, desenvolver e produzir vacinas, reativos para diagnóstico e biofármacos dentro dos padrões da qualidade, motivando permanentemente nossos colaboradores para atender às expectativas de nossos clientes, atuando com responsabilidade social e atentando para a preservação do meio ambiente."

Bio em Números

O Instituto, fundado em 1976, é uma das 16 unidades técnico-científicas da Fiocruz e possui um dos maiores e mais avançados parques industriais da América Latina: o Complexo Tecnológico de Vacinas (CTV), com 24.166 m² de área construída.

Com a inauguração do Centro Henrique Penna - Protótipos, Biofármacos e Kits para Diagnóstico, o CTV foi ampliado para 41.722 m².

A unidade tem capacidade para produzir cerca de 150 milhões de doses de vacinas bacterianas e virais por ano. Com o Novo Centro de Processamento Final, a ser erguido em Santa Cruz (RJ), essa capacidade poderá quadruplicar.

Considerando a demanda programada do PNI para 2016, Bio-Manguinhos atendeu à 32,59% do mercado público nacional de vacinas, incluindo fornecedores internacionais, e 43,78% considerando apenas os produtores nacionais. Em 2015, a participação foi de 32,9% e 39,27%, respectivamente.

Em 2017, a unidade entregou ao PNI cerca de 132 milhões de doses de vacinas. Foram entregues 9,4 milhões de unidades de biofármacos e 5,9 milhões reações de reativos.

Tem 27 projetos em desenvolvimento: quatro de vacinas bacterianas, 10 de vacinas virais, 7 de reativos para diagnóstico e 6 de biofármacos.

Desde 2001, com a pré-qualificação da vacina febre amarela pela Organização Mundial de Saúde (OMS), atua no mercado público internacional e já forneceu a vacina para 74 países.

O portfólio de Bio-Manguinhos é composto por: 10 vacinas, cinco biofármacos e 15 reativos para diagnóstico.

A Comissão de Responsabilidade Socioambiental (Somar) atendeu, de 2008 a 2016, 395 jovens de dez a 13 anos das áreas vizinhas, por meio do projeto Crescendo com Manguinhos.

Buscando as melhores práticas de gestão, a unidade ganhou, por duas vezes, em 2006 e 2012, o Prêmio Qualidade Rio (PQRio), na categoria prata.

Investindo na qualificação de seus colaboradores, Bio oferece o Mestrado Profissional de Tecnologia em Imunobiológicos, que já formou 123 mestres.

Sua força de trabalho é de cerca de 1.610 colaboradores.

Dados atualizados em janeiro de 2018

Acesse o site oficial: https://www.bio.fiocruz.br/